Dar as mãos pela preservação de Argemela

Nunca como agora o conceito de dar as mãos pode fazer a diferença na luta que as gentes das aldeias da periferia da Serra de Argemela, em comunhão com o Grupo “Pela Preservação da Serra da Argemela” e as Juntas de Freguesia da União de Freguesias de Barco e Coutada, concelho da Covilhã, Lavacolhos e Silvares, concelho do Fundão, estão a encetar há mais de um ano contra a ameaça da concessão de uma exploração mineira a céu aberto na Serra da Argemela, pedido pela empresa PANNN, Consultores de Geociências, Lda.

Desta vez está agendado para o dia 4 de Março, pelas 14,30 horas, na Ponte do Barco a realização de um “Cordão Humano, manifestação pacífica”, justamente para defender o Não: à destruição da fauna e da flora; à poluição e contaminação do Rio Zêzere; à contaminação dos solos: à poluição do ar (poeira e gases gerados pela extração; às vibrações e rachaduras nas habitações; ao barulho causado pelas explosões; ao atentado contra a saúde das populações; à destruição do património histórico.

A organização em comunicado deixa ainda vincado que lutar pela preservação da Serra da Argemela é lutar pela saúde e bem-estar de todos os habitantes da região.

Apelam assim à participação massiva de todos os que estão contra esta exploração mineira, fazendo um enorme Cordão Humano que abrace com carinho a Serra da Argemela.

Importa ainda referir que esta manifestação pacífica começa pelas 15,30 horas e está garantido estacionamento: Largo do Clube – Campo de Futebol.


Partilhar