Largo da Praça vai ser Fonte de Vida e de Amor através da Água

No sábado 11 de agosto/18,  às 21.30, a história da cultura popular paulense vai reescrever-se quando ao longo de cerca de duas horas as heranças deixadas pelos antepassados são apresentadas através de novas abordagens rítmicas e cénicas de quadros onde a dança também marca presença, ora se ouvindo só pés arrastando-se, ora só o bailado das mãos ser visível pelo público, não perdendo de vista o cunho tradicional e as raízes do Rancho Folclórico da Casa do Povo do Paul.

O espetáculo “Água, Fonte d’Amor e de Vida” é uma produção da Casa do Povo do Paul e insere-se nas comemorações dos 80 anos do Rancho Folclórico do Paul e 40 de Casa do Povo e pretende ser um momento multidisciplinar de homenagem ao trabalho deste povo, onde os vários ciclos da terra serão apresentados em contextos devidamente personalizados, tendo como referência o grande recurso natural: a água.

O espetáculo foi apresentado em conferência de imprensa nas margens da Ribeira do Paul, que atravessa a vila, num dos locais emblemáticos deste recurso hídrico designado Laranjal, tendo sido recriados alguns momentos de “Água, Fonte d’Amor e de Vida”.

Leonor Narciso, António Valezim e To Zé Duarte estão a encenar o espetáculo  em conjunto com Bitocas Fernandes, que “revoluciona” o conceito da arte e da cultura popular, fazendo emergir os sons (onde já existiam sem se tornarem apercebidos) deixando antever uma grande criatividade e surpreendentes quadros.

Para a presidente da Comissão Executiva das Comemorações dos 80 de Rancho Folclórico do Paul e 40 de Casa de Povo e simultaneamente uma das mentoras desta arrojada iniciativa  cultural, “são histórias de vida que vão ser cantadas neste espetáculo, No primeiro painel, vamos ter a poesia popular, que é tão rica, e os provérbios que o povo usava e jogos rítmicos.

Depois temos vertentes relacionadas com a terra e com a água fonte de vida e de amor. Eram fontes onde muitas vezes aconteciam os namoricos, onde se lançavam os olhares e que se cantava”, explica Leonor Narciso.

Água, Fonte d’Amor e de Vida” conta ainda com a colaboração do : Rancho Folclórico de Faro ,Rancho Folclórico da Areosa e do grupo local de ginástica acrobática Wordlwidegym, sendo que, assim numa simbiose cultural o Norte, Centro e Sul do país estão unidos na geografia dos afetos que irão emergir neste acontecimento cuja singularidade é  assegurada pelo encadeamento centrado sempre no elemento água”.

“São grupos que também têm como riqueza a água e, por isso, estamos a tentar encontrar uma fusão de modo a que exista algo em comum. Temos ainda um outro grupo de dança contemporânea com quem também vamos tentar fazer uma fusão com o tradicional ”, explica Leonor Narciso.

A vereadora da cultura do Município da Covilhã, presenta na conferencia de imprensa deixou palavras de apreço pela temática escolhida, “sinto-me orgulhosa por gente no território gente talentosa que há muitos anos trabalha em prol da cultura, preservando-a mas também sem esquecer a inovação como é o caso deste espetáculo centrado na água um elemento importante para esta vila mas também para a cidade da Covilhã”, sublinhou Regina Gouveia. 

Quanto ao programa relembramos que começa um pouco mais cedo com a abertura do bar na emblemática Taberna do Freire, pelas 18 horas, um espaço com mais de 200 anos onde outrora se fizeram tertúlias e uma exposição no Café Central de parte do espólio do Rancho Folclórico do Paul, outro local histórico, onde muitas estórias do quotidiano paulense se cruzaram é inaugurada então a exposição “Uma Família Octogenária”.

A organização anuncia ainda que, o carismático Largo da Praça na Vila do Paul, no dia 11 de agosto/18, vai transformar-se num cenário que só por si relembra a vida quotidiana de outrora da vila do Paul.

Mas a noite não termina sem que as emoções sejam retemperadas e depois da encenação através das “Danças do Mundo”, oportunidade para o público viajar através da dança pelo mundo fora”.

 

 


Partilhar