Projetos do Paul pouco acarinhados

Durante meses fomos apelando à comunidade paulense para se unir em torno de dois projetos em votação no Orçamento Participativo de Portugal (OPP), nomeadamente: # 630 –APP Ribeira Caia e #668 – Rotas Paulenses.

Já se sabe o resultado da votação. E no caso do Paul espelha alguma indiferença de uma comunidade que ao invés do que aconteceu com os Orçamentos Participativos da Covilhã Decide, que soube unir-se e entrincheirar-se no querer e na vontade de lutar por um resultado positivo, desta vez no OPP a avaliar pelos votos expressos até 30 de setembro, pouco fez por acontecer.

Alguns acusam tudo e todos pela falta de um desenvolvimento sustentado da vila, mas quando rejeitamos pelo alheamento ou por indiferença uma oportunidade de tentar que esse mesmo desenvolvimento ganhe alguma expressão na vila, não podemos queixar-nos.

Tínhamos escrito se todos quisessem que parte do bolo do OPP viesse a ser distribuída na Freguesia (e já não é sem tempo) tínhamos de lutar de forma coesa, unida dando uma resposta cabal sobre o poder de um movimento associativo, mais do que isso, a demonstração de uma comunidade a cerrar fileiras a favor do desenvolvimento da Freguesia do Paul.

Alertámos também que não valia a pena este discurso de comiseração “quem está mais perto do lume é que se aquece”, é com esta modalidade do OPP, era a votação que determinava, por isso não podíamos “morrer na praia”.

Avisámos que tinha chegado o momento de todos os paulenses e não só, se unirem em torno destes projetos da vila que estiveram em votação até ao dia 30 de setembro 2018.

Pois bem.  

Se estivermos a falar de um universo só de eleitores inscritos na vila do Paul, facilmente chegamos à conclusão que os 155 votos que o projeto APP Ribeira Caia e 111 do projeto Rotas Paulenses, ficam muito aquém do que seria possível alcançar se todos os paulenses com direito de voto o exercessem, isto para não falar diáspora portuguesa, onde certamente muitos paulenses labutam.

Em boa verdade, não vimos nenhuma movimentação de grande impacto, nem do movimento associativo, nem da autarquia, nem de outras forças vivas da freguesia, no sentido de captar votos nos projetos. Do pouco que vimos, foi através das redes sociais os mentores dos projetos a apelar ao voto, o que foi e provou-se que era manifestamente insuficiente para gerar aquela onda de solidariedade ativa, consubstanciada nos votos nos projetos do Paul.

Dos 33 projetos regionais na área Economia, Comércio, Industria, Turismo e Energia onde se incluía o projeto e Rotas Paulenses, só quatro conseguiram melhor votação do que o do Paul, que como foi dito obteve 111 votos, muito longe do projeto vencedor “A Rota do Românico” com 1239 votos.

Já na área de Ambiente, Ordenamento do Território, Conservação da Natureza e Habitação, no âmbito regional dos 22 projetos, a APP Ribeira Caia ficou na oitava posição com 155 votos sendo o projeto vencedor ExploAPPateira com 1989 votos e em tudo idêntico ao projeto paulense.

Importa aqui deixar uma palavra de apreço a todos os mentores paulenses que apresentaram projetos ao OPP, estes sim, paulenses de corpo inteiro que deram um exemplo de cidadania ativa e lutaram com os seus meios pelo desenvolvimento do Paul que desta vez deixou passar a oportunidade de fazer a diferença. Mas como diz o povo. “Cada um tem o que merece”. Ou não.  


Partilhar